Novidades

Levantamos rodada Seed de US$4,3 milhões para expandir serviços bancários para startups 

março 31, 2022

Com o objetivo de ajudar as startups latino-americanas com seus desafios de câmbio e banking, levantamos um Seed de US$4,3 milhões, liderado pela HOF Capital (Investidor da Stripe, SpaceX, Klarna, Uber e Niantic). 

A rodada também contou com participação de outros fundos e investidores individuais como Circle Ventures, Mantis Ventures (fundo da The Chainsmokers), 2TM (holding dona do Mercado Bitcoin), Blockfi Ventures e seu CEO Zac Prince, Marcelo Sampaio da Hashdex, Miguel Fernandez da Capchase, além de fundadores da Rappi, Coinmarketcap e Quantstamp.

A Trace Finance, antes focada em auxiliar empresas no processo de importação e exportação de produtos, pivotou o seu modelo de negócios e agora contamos com uma engenharia financeira que permite a transferência de valores oriundos de fundos de investimento para startups latino-americas.

Nosso CEO e Cofundador, Bernardo Brites, dá mais detalhes sobre a atual proposta de valor da empresa “A gente montou um fluxo no qual a gente limita, ao máximo, a ineficiência dos bancos, elimina redundâncias porque automatiza uma série de informações que, sabemos, essas instituições pedirão, e também inconsistências, já que muito desses processos ainda passa pela mão de muita gente, ainda é um processo humano. Também temos autonomia para responder, nós mesmos, algumas questões, limitando a ineficiência dos bancos. A partir do momento que um banco pede uma informação muito específica, travando o processo, a gente deixa ele para lá e segue o processo com os outros”,.

Até o momento a já transacionamos mais de R$150 milhões e auxiliamos mais de 30 clientes na modalidade remessa de dinheiro, entre eles The Coffee, Cobli, Mercado Bitcoin, Zippi, Pomelo, Condoconta e Big Bets.

Com essa nova solução, a nossa proposta de valor promete reduzir drasticamente o prazo para essas transações de 2 meses para até 2 dias e também o spread, de 4% para 0,2%.

Planos para o futuro 

O próximo passo agora é aumentar o portfólio de produtos com o foco em desenvolver soluções para todas as etapas do processo: criação de um banco nos EUA conectado a uma conta bancária no Brasil para competir com Silicon Valley Bank. O objetivo não é somente facilitar a remessa de dinheiro, mas também oferecer um rendimento atrativo, o que promete deixá-la mais atraente para os nossos clientes.

Além disso, estão nos planos o lançamento de um cartão de crédito bandeira Visa com saldo baseado na rodada recebida pela startup, assim como oferta de crédito consolidado. Mas isso deve ficar para a próxima rodada de investimento – que pode acontecer antes do esperado, em menos de 12 meses.

Para colocar esses planos em prática, os recursos levantados agora serão usados, principalmente, para aumentar a equipe de programadores, investir em marketing e expandir a solução bancária para startups no Brasil e nos Estados Unidos. 

Falando em contratações, a Trace deve ir de 10 funcionários para mais de 30 até o final do ano. Sabendo da importância de achar as pessoas certas nesse estágio inicial, os Fundadores tem contratado profissionais experientes de empresas como Apple, EBANX, Spotify, Creditas, Gympass e entre outras.

E o objetivo não é parar no Brasil, de acordo com o nosso CEO, já está nos planos resolver desafios similares em outros países da América LatinaVamos ter toda essa parte de conta lá fora e conta no Brasil, o que vai permitir com que a gente faça vários produtos que não existem para startups do Brasil. Eventualmente podemos até fazer uma expansão para México, Colômbia e Argentina. Porque a gente vê essa dor da startup estar operando no Brasil e demorar três meses para conseguir abrir uma conta bancária no México.”