Investimento Estrangeiro

Como transferir seu aporte de capital dos EUA para o Brasil

setembro 9, 2022
aporte de capital

Receber um aporte de capital do exterior já é uma realidade para diversas startups da América Latina. No entanto, o processo, que pode ser um tanto burocrático, ainda desperta muitas dúvidas para founders e líderes que pretendem captar ou já estão captando. Entenda como é possível movimentar o valor captado para o Brasil de maneira segura e capitalizar sua operação. 

Os investimentos estrangeiros representam parte importante do crescimento de empresas brasileiras e de toda a América Latina. Em 2022, os investidores estrangeiros participaram de 39% das rodadas que aconteceram de janeiro a abril para startups fundadas no Brasil, segundo dados da Distrito

Recentemente, acompanhamos que, apesar de uma queda nos investimentos, os fundos de Venture Capital não diminuíram o ritmo de captações e até julho de 2022 o montante levantado era de US$137.5 bilhões, sinal positivo para as startups que buscam investimentos com fundos internacionais. 

Em declaração exclusiva à Trace, Mercedes Bent, Partner da Lightspeed, afirmou que: “Na Lightspeed acreditamos que a América Latina é uma das mais atraentes, e pouco investidas, regiões do mundo”.

Busca por aporte de capital no exterior 

Existem diversos motivos para buscar investimentos para além do território nacional. Para as startups, por exemplo, é possível encontrar mais opções de fundos de venture capital, muitos deles focados em verticais específicas, além de ter acesso a mais capital. Em 2021, o valor de investimentos realizados por VCs americanos somou aproximadamente US$300 bilhões, quase o dobro do ano anterior. 

Para os investidores, as vantagens incluem encontrar boas oportunidades de negócio em uma região que tem ganhado destaque globalmente, principalmente quando falamos sobre ecossistema de inovação. 

VCs americanos costumam oferecer diversas vantagens e chamar a atenção de empresas brasileiras, que buscam se aproximar desses investidores para realizar captações. Para isso, muitas optam por montar uma estrutura legal e receber a rodada nos EUA.

Ainda que os investidores tenham interesse pelo mercado brasileiro de inovação, a instabilidade vivida no país ainda representa um obstáculo, por isso, ter uma estrutura internacional preparada para receber os investimentos é a melhor opção. 

Um modelo estrutural muito comum para esse tipo de operação é criar uma holding nas Ilhas Cayman, com outra empresa nos Estados Unidos e, abaixo, a operacional brasileira. Além disso, é preciso criar uma conta bancária internacional, parte do processo que pode levar alguns meses por conta da burocracia. 

Como transferir seu aporte de capital dos EUA para o Brasil 

Uma vez recebido o aporte nos Estados Unidos, ou qualquer outro país estrangeiro, será preciso trazê-lo para o Brasil, local onde está a operação da sua empresa. 

Com uma conta internacional aberta, a transferência poderia ser feita para estruturas bancárias tradicionais brasileiras, mas, na prática, essa pode não ser a melhor opção para as startups. 

Isso porque os bancos não costumam estar preparados para esse tipo de transação e, além do founder cair numa grande burocracia, que pode até incluir a solicitação de documentos dos seus investidores, as taxas chegam a 4% do valor da transferência. 

Bancos estrangeiros que permitem esse tipo de transferência, por sua vez, não são intuitivos e oferecem uma experiência pouco amigável para seus clientes, principalmente para aqueles que estão lidando com esse trâmite pela primeira vez. 

Ainda, após a transferência, é preciso cuidar da área de paralegal, que inclui declarações obrigatórias para o uso do valor captado em território nacional.  

Atualmente, no entanto, existem soluções, como a da Trace, que facilitam esse tipo de transação. Se esse era um processo demorado e caro, hoje, já é possível fazê-lo em até um dia e com taxas menores do que 0,5%. 

Transferência internacional com a Trace 

A Trace oferece soluções para transferência internacional com o menor custo do mercado e em tempo recorde. Você consegue receber sua transferência no mesmo dia e contar com atendimento de especialistas que orientam sobre as melhores práticas e o momento ideal de trazer seu aporte, de acordo com as variações do câmbio. 

Além disso, após a transferência, clientes da Trace têm suporte paralegal gratuito para declarações como o RDE-IED, RED-ROF, CDNR e declarações periódicas.  

Ana Zucato, CEO da Noh e cliente da Trace, conta sobre sua experiência com a transferência internacional: “Estou impressionada com o quão acima do mercado é a experiência da Trace. Consegui localizar minha rodada seed em um único dia, com uma excelente taxa de câmbio e com uma experiência de usuário personalizada”. Saiba mais sobre a experiência da Noh com transferência internacional. 

Entre em contato com nossos especialistas e saiba como a Trace pode contribuir também com sua startup no processo de transferência internacional! 

————-

Author


Leone Parise – Co-founder at Trace Finance